• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Ora aí temos mais uma banda alemã a cantar em alemão. Já falámos disto antes, mas desta vez vamos experimentar outra abordagem... não deveríamos ser como os alemães? Orgulhosos da sua língua e por isso insistir em cantá-la mesmo no estilo de música em que a língua anglo-saxónica domina. E neste género em específico, o punk. O início do álbum dá-se em grande força com o "Nummer 3", com melodias fáceis de memorizar - felizmente os "oooooh oh ooooh" são universais - e até nos consegue fazer ultrapassar depressa pela questão da linguagem.

Depressa mas não de forma duradoura.

As melodias são realmente o ponto forte deste trabalho, que nos faz tentar arriscar a cantarolar faixas como "Die Schuld Daran", "Wären Alle Mesnschen Glücklich" e "ScheiBe (War Schin Immer Braun)", apesar de termos a perfeita noção de que só estamos a mandar bolas ao poste. Punk rock energético mas que também acaba por não passar disso, a fazer lembrar em alguns momentos a fase intermédia da carreira dos The Offspring, noutros os NOFX, mais pesados. Depois também temos outros momentos em que inevitavelmente temos que ir buscar os Rammstein, como a "Alles Auf Anfang" que começa com uma pianada e com uma voz melancólica a sugerir um momento mais sensível. Curiosamente, resulta e acrescenta dinâmica ao trabalho.

No final, não é um trabalho que nos vá agarrar pelos ouvidos e obrigar a ficar colado ao mesmo, mas para quem não dá nada por ele, poderá ficar agradavelmente surpreendido e poderá até voltar até ele mais tarde. Poderá servir também para querer conhecer o resto da carreira da banda embora aquilo que nos pareça é que este é mesmo o momento mais alto da sua carreira. Dizem que a música é uma linguagem universal e é por sentirmos isso que temas como "Kopie" nos caem no goto seja em que língua for. Vale a pena deitar abaixo o preconceito e ouvir.


Nota: 7.6/10

Review por Fernando Ferreira