• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


O duo canadiano conhecido como Nadja tem uma discografia extensa como o Alentejo, com vinte e um álbuns de originais, sem contar com este "Sv" e mesmo com tantos álbuns (o primeiro foi editado em 2002), ainda se permite a estar dois anos sem lançar nenhum (não esteve propriamente parada, tendo editado EP, álbuns ao vivo e colaborações com outras bandas/artistas. A abordagem muito própria da banda ao som mais monolítico, ambiental e experimental fez com que em pouco tempo tivesse reunido um culto à sua volta - onde as inúmeras colaborações e splits tiveram uma forte palavra a dizer.

O que é que podemos esperar então para este trabalho? O inesperado talvez, embora já seja difícil, a este ponto, os Nadja nos surpreenderem. Composto por uma única faixa de quarenta e um minutos, chamada "Sievert", o que temos um mantra sonoro e hipnótico. Temos que dizer... é obra usar apenas umas parcas melodias (ou ritmos) durante quarenta e um minutos e a mesma não enjoar. Pelo contrário, hipnotiza. Um tema que nos é apresentado envolto de ruído industrial - suave, nada de muito violento - um drone que vai crescendo de intensidade.

Poderá pensar-se que o ruído poderá eventualmente resultar em dor de cabeça - e não nos surpreende para aqueles que são mais sensíveis e mais impacientes que desistissem a meio - mas é a finalidade da coisa, julgamos nós. Termos algo que vai crescendo, vai-se mutando. Vivo, orgânico, é possível sentí-lo a respirar dentro da nossa cabeça, mesmo depois de desligar. E esse é o seu maior feito. Este trabalho, ouvido na íntegra, sem interrupções, continua a tocar na nossa cabeça mesmo depois da música parar. Compreendemos quem dizer que isto é intragável, mas definitivamente não concordamos. Música é também experimentação e fazer passar sensações, sentimentos e estados de espírito. E há disso tudo aqui.


Nota: 8.5/10

Review por Fernando Ferreira