• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Os NilExistence são norte-americanos e tocam Deathcore. Deathcore, esse bicho difícil de perceber. Vamos facilitar as coisas e recomeçar. Os NilExistence são norte-americanos e tocam death metal bruto dos queixos. Pronto, fica melhor, não fica? Então vamos lá a isso. "Existence In Revelation" é o álbum de estreia da banda norte-americana e é composto por oito músicas bem intensas de death metal que são densas como tudo e que poderão demorar a integrar, isto para aqueles que não gostam de death metal técnico. Caso contrário terão um festim dividido em oito capítulos.

Além de termos alguns trejeitos que irritam, como aqueles que se podem ouvir no riff inicial da "If Snakes Coult Talk, My Words Would Slither", tornando as músicas repetitivas, também músicas em si acabam por conter por vezes em demasia alguns elementos técnicos que tornam a coisa pouco acessível. Sabemos que esse é provavelmente o principal objectivo, e que estes elementos também acabam por fazer parte do estilo mais técnico do death metal, mas por vezes parece-nos que a música está a pedir algo mais simples. Bem, o que é que nós percebemos disso, afinal?

Seja como for, é um álbum que apesar de custar a entrar, ouve-se bem - mais uma vez salientamos, terá de haver uma certa experiência e prática com a podridão e potência sonora extrema, porque quase contrário, não adianta tentar - porque as consequentes audições acabam por acontecer devido à forma como consegue cativar e como é denso, também acaba por dar um certo gozo conseguir desvendar e revelar a cada vez que se ouve mais detalhes. Para quem se assusta (como nós) com o rótulo deathcore que vimos associado à banda algumas vezes, esqueçam isso e ouçam. Apenas isso.


Nota: 7/10

Review por Fernando Ferreira