• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Ted Poley é mais conhecido como o vocalista dos primeiros álbuns dos Danger Danger, e para muitos O vocalista da banda de hard rock norte-americana. Depois de um muito bem sucedido “Screw It” e de já terem um álbum pronto, “Cockroach”, a banda despediu o vocalista e gerou-se um desentendimento que ainda meteu processos pelo meio. A coisa não durou muito tempo e as duas partes acabaram por fazer as pazes no novo milénio, tendo o vocalista voltado em 2004, onde se mantem até hoje. Ainda há pouco tempo falámos dos Danger Danger e dos seus ex-membros, a propósito do projecto The Defiants (que reune Bruno Ravel, Rob Marcello e o vocalista que substituiu Poley, Paul Laine) e surge Ted Poley a solo a completar o pacote.

A primeira coisa que nos surge, a primeira dúvida inquietante é… sendo Danger Danger um dos nomes grandes do hard rock mais melódico, será que se justifica um lançamento a solo do seu actual vocalista. De certa forma sim, mas vai depender sempre dos gostos dos ouvintes, já que “Beyond The Fade” é bem mais melódico e acessível, ou por outras palavras, é puro AOR. Conta com a colaboração dos habitués da Frontiers, como Alessandro Del Vecchio, na produção e na composição, onde também brilham os irmãos Martin (também já falámos deles recentemente aquando a review do novo álbum dos Veja).

AOR clássico é a melhor forma de definir este trabalho, onde temos sempre as guitarras bem melódicas e melosas principalmente nas baladas como na “Perfect Crime”, onde Poley faz um dueto Issa, que é a escolha comum para duetos por parte da Frontiers. E é neste ponto que nós esbarramos um pouco. Se louvamos a gestão da Frontiers em usar músicos para criar novos projectos, a questão é que invariavelmente as soluções são sempre as mesmas e acabamos por ter a sensação que estamos sempre a ouvir a mesma coisa. Isto é AOR clássico, que não existam dúvidas em relação a isso, bem produzido e bem interpretado. Não surpreende mas cativará quem procura isto mesmo. Os outros que procuram algo mais, é melhor irem a outro sítio.

Nota: 6.5/10

Review por Fernando Ferreira