• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Thraaaaaaaaaaaaaaash! Ora aqui está, a Austrália a mostrar-se cada vez mais produtiva no que diz a boas bandas de metal a surgirem nos escaparates. No caso dos Elm Street, este segundo trabalho serve mais como confirmação do que propriamente apresentação, já que a sua estreia, que conta já com cinco anos de idade, já nos tinha deixado em sobreaviso acerca da sua qualidade. Apesar da voz ser um pouco mais própria para propostas extremas, o som no seu geral, pertence à categoria das sonoridades mais melódicas do thrash embora não se pense que isso significa que o peso é sacrificado.

O que temos é uma dose maior do elemento técnico e do virtuosismo que se prolonga também para a composição, onde a banda arrisca por terrenos mais complexos, quase progressivos e menos imediatos, apesar do elemento melódico - e é sempre um risco, principalmente quando temos um tema como “Blood Diamond”, um épico com quase doze minutos de duração, que diga-se de passagem, é um dos melhores momentos de todo o álbum. Um bom termo de comparação é como se tivéssemos uma mistura entre os Testament ligeiramente mais melódicos e os Iron Maiden, uma mistura vencedora, na nossa opinião mas que poderá não cativar para quem de coisas mais directas e brutais.

A banda demonstra uma maturidade apreciável e tendo em conta de que ainda é apenas o segundo álbum, deixa-nos com curiosidade se o caminho que seguirão no futuro. Se a abordagem curta e grossa de temas como “Kiss The Canvas” e “Heavy Mental” ou se algo mais progressivo e maidenesco como a já citada “Blood Diamond”, a “Sabbath” e a espécie de power ballad que encerra o álbum, “Leave it All Behind”. É um álbum que trará muitas horas de prazer para quem gosta do poder do heavy metal aliado à pujança do thrash metal.


Nota: 8.6/10

Review por Fernando Ferreira