• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes

Symphony X - Underworld




Riverside - Love Fear And The Time Machine




Amorphis - Under The Red Cloud





Flayed - Monster Man




Ivanhoe - 7 Days




Elferya - Eden's Fall




Spektr - The Art To Disappear




Rab - Rab 2




Exumer - The Raging Tides




Tales Of The Tomb - Volume One Morprhas




Dimino - Old Habits Die Hard




Roxxcalibur - Gems Of The NWOBHM





The Fifth Alliance - Death Poems




Augrimmer - Moth And The Moon




The Great Tyrant - The Trouble With Being Born




Weeping Silence - Opus IV - Oblivion




Watercolour Ghosts - Watercolour Ghosts




Hexx - Under The Spell/ No Escape




Deseized - A Thousand Forms Of Action




Razor Rape - Orgy In Guts




Sadist - Hyaena




Xandria - Fire & Ashes




Alien Syndrome 777 - Outer




Asylum Pyre - Spirited Away




Canyon Of The Skell - Canyon Of The Skull




Chron Goblin - Blackwater




Extreme Cold Winter - Paradise Ends Here

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



















Entrevista aos Wintersun

Os Wintersun estão de volta mas só acede ao novo álbum “The Forest Seasons” quem participar na campanha de crowdfunding que se iniciou no dia 1 de março e que terminará no dia 31 do mesmo mês. (...)

Vallenfyre revelam detalhes do novo álbum

O próximo álbum dos Vallenfyre, intitulado "Fear Those Who Fear Him", será lançado a 2 de Junho pela Century Media Records. O 3º álbum da banda foi gravado (...)

Hail Of Bullets chegam ao fim

A guerra dos Hail Of Bullets chegou ao fim. A banda holandesa colocou um término na sua luta e para a história ficaram álbuns como "...of Frost and War", (...)

Novembers Doom lançam novo vídeo

Os Novembers Doom, banda oriunda de Chicago, acaba de lançar um novo vídeo com a letra. Retirada do seu décimo álbum, “Zephyr”, foi, desta feita, a escolhida.(...)

Testament preparam lançamento de novo álbum e livro

Apesar do seu último álbum "Brotherhood Of The Snake" ter sido lançado há apenas cinco meses, os Testament encontram-se já a trabalhar no seu sucessor. A revelação surgiu numa entrevista(...)


Mais que um festival, afirmam ser uma experiência. Dizem no início nem saberem o que era um rider. Uma coisa é certa, o bom gosto corre nas veias. Agora, com a sexta edição, concretiza-se um velho sonho, mas esse vem mais para o fim. Agora é ainda o início, o dia antes do primeiro, aquele dia em que a minoria dos amigos acede a uma cave nas ruas do Porto para ver um concerto e ouvir um disco.

Tudo seria mais fácil, se o festival se preenchesse com dezenas de nomes sobrepostos, mas aqui não se pretende preencher uma longa lista de “já vi”, preferindo-se um pequeno grupo de “ouvi e vi”. Não é um festival para passar, é para estar. É uma experiência.

Cave 45, bar de Rock, palco numa cave escura, numa rua movimentada como todas as do centro portuense, um nome só para a noite: Aluk Todolo. Francês, com raízes no Black Metal, o trio repete a passagem pelo Amplifest, onde tinha tocado em 2013. O conceito foi repetido, uma lâmpada cuja intensidade luminosa varia com a descarga decibélica desenvolvida ao longo do espectáculo. Esta mesma lâmpada ilumina o palco. Dentro do espaço reduzido do Cave 45, o efeito é exponenciado. Não aconselhável a claustrofóbicos. Se o guitarrista Shantidas Riedacker é o elemento mais expansivo, o baterista Antoine Hadjioannou é a força motriz. A actuação do grupo baseia-se na maratona percussionista deste, que ao longo de quase uma hora obtém sucessivos ritmos da bateria. Não há aqui a pretensão de afirmar que o tema X ou Y foi executado, antes a necessidade de explicar o transe em que se imerge a meio da actuação do trio.

Sem nenhuma comunicação, para lá do natural agradecimento, e após uma breve pausa, o colectivo regressou ao palco para algo que pareceu improvisado, esteve para lá do simples encore e pareceu mais uma actuação de agradecimento face à boa recepção. O resultado foi nova dose decibélica, embora numa toada geral, mais doomíca que a anterior. Genial.

Após uma tal devastação sonora, já eram poucos os que ficaram para a pré-escuta do novo de Mono, com as habituais melodias delicadas e hipnóticas. O corpo já não aguentava.

Texto e fotografias por Emanuel Ferreira
Agradecimentos: Amplificasom