• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Um lançamento de Mastodon é só por si um dos eventos mediáticos que mais atenção gera neste meio. A banda de Atlanta bem se podia desleixar e fazer um disco fraco que ainda assim iria ganhar uns cobres e continuar na ribalta durante os anos que se seguissem - todos já vimos este tipo de história com umas quantas bandas do fim do século passado. 

“Show Yourself” foi o tema que os Mastodon escolheram para apresentar este seu 7º longa duração e, apesar de ser um tema contagiante como o raio (os versos ficam dias a tocar na cabeça do ouvinte), deixa a pensar muito no que a banda fez em “The Hunter”: temas de curta duração, catchy e bastante melódicos. Mas “Show Yourself” não revela o que está em “Emperor of Sand”, pois pensar que este disco é um follow up aos dois últimos lançamentos da banda é um erro. “Sultan’s Curse”, tema escolhido para abrir o álbum, revela sim o dinamismo e a genialidade que valeu a estes americanos o pódio que ocupam hoje em dia: riffs que tanto podem tombar para o progressivo, (por vezes, até o psicadélico) como para o pesado e rude ou ainda para o deliciosamente melódico. São 11 temas que em nada desiludem. Desde malhas incontornáveis como “Ancient Kingdom” e “Scorpion Breath”, esta última com a participação da voz de Scott Kelly (Neurosis), como é tradição em todos os discos de Mastodon; ficando vincado na memória o desenvolvimento que se verifica na segunda metade de “Roots Remain” que termina com um longo e espectacular solo, ou o refrão pegajoso de “Steambreather”. Ou melhor, reescrevo as minhas palavras: o álbum em si ficará todo vincado na memória do ouvinte. Quem quiser procurar qual dos outros 6 álbuns se assemelha mais a este, há-de chegar à conclusão que há um pouco de todos em “Emperor of Sand”.

Sim, é um grande álbum e, sem dúvidas, um forte candidato aos melhores do ano, mas aqui, o que realmente é de valorizar é que os Mastodon continuam a reinventar-se, mantendo ao mesmo tempo a sua conhecida sonoridade intocada. “Emperor of Sand” não é o álbum da banda grande que pega na receita de sucesso e toca-a um bocadinho diferente, é o álbum de uma banda que realmente respira a música que faz e pretende que a mesma não estagne a cada disco que resolvem lançar. A quem faça a pergunta “Porque é que os Mastodon são tão grandes?” pode-se responder ao pôr-lhe o “Emperor of Sand” à frente… ou o “Leviathan”… ou o “Crack The Skye”, enfim, acho que deu para perceber.

Nota: 9.2/10

Review por Tiago Neves