• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Os Kreator já nos habituaram a longas esperas, desde os quatro anos de intervalo entre "Violent Revolution" e "Enemy of God". Desta feita sucedeu de igual modo, com praticamente cinco anos a separarem "Phantom Antichrist" e o novíssimo "Gods Of Violence". Se é para terem tempo de compor trabalhos da qualidade dos supracitados podem demorar os anos que quiserem porque tem valido a pena a espera.

"Gods Of Violence" não apresenta diferenças substanciais relativamente ao seu predecessor, nem a qualquer dos álbuns editados pelos Kreator, desde "Violent Revolution". Aliás, a partir do álbum de 2001, a banda germânica voltou à sua melhor forma e encontrou um rumo musical. Os mais recentes discos da banda de Mille Petrozza apresentam uma sonoridade thrash, melódica, dinâmica e madura a nível composicional, mantendo alguma da intensidade e agressividade do passado. Quem estiver ainda à espera que os Kreator, nesta altura do campeonato, escrevam um disco de thrash metal extremo como "Endless Pain" ou "Pleasure to Kill" pode aguardar sentado, porque as intenções musicais deste quarteto são claramente distintas do estilo que os caraterizava. Os Kreator do século 21 não são piores nem melhores do que os dos anos 80, são apenas diferentes. De realçar as poucas oscilações de qualidade entre os álbuns "Violent Revolution", "Enemy of God", "Hordes of Chaos", "Phantom Antichrist" e este "Gods Of Violence" que permitem afirmar com alguma segurança, que os Kreator são, provavelmente, uma das bandas de thrash metal que apresentou uma maior consistência nas últimas duas décadas. 

"Apocalypticon" é um ótimo tema instrumental que nos prepara para a guerra, que nos atinge a todos com "World War Now", uma música que nos conquista com o seu refrão frenético. "Satan is Real" é uma música incrivelmente orelhuda no seu todo, sendo detentora de um refrão que seguramente será entoado pelo público nos concertos. "Totalitarian Terror" é uma faixa rápida e intensa, passível de contagiar à primeira audição. O tema-título "Gods of Violence" é sem surpresas outro dos destaques deste trabalho, o que não é de admirar pois geralmente as músicas que dão nome aos discos de Kreator, estão entre as melhores dos respetivos alinhamentos. O disco continua forte até ao final mas podemos realçar "Hail to the Hordes", que é um tema extremamente catchy e de influência heavy metal, sensivelmente na linha do que fizeram com "From Flood Into Fire", do álbum anterior. Não podíamos deixar de fazer referência à faixa mid-tempo "Fallen Brother", cujo videoclip presta homenagem a ícones da música falecidos como Lemmy Kilmister, Jeff Hanneman, Cliff Burton, Peter Steele, Bon Scott, Dimebag Darrell, Dio, John Bonham, Phil Lynott e até Prince e David Bowie. Os Kreator esticaram um pouco a corda apenas no tema "Side by Side", com um refrão a roçar o power metal mas mesmo assim o resultado global dos seus quatro minutos de duração é francamente positivo. O primeiro minuto do tema que finaliza o disco, "Death Becomes My Light", traz à lembrança o rock gótico de "Endorama" mas depois a música transforma-se em heavy/thrash para  depois terminar numa toada quase gothic/doom. 

"Gods Of Violence" é indubitavelmente um álbum de thrash, chamemos-lhe thrash metal melódico, mas é sobretudo um grande disco de metal com momentos e influências distintas que dão variedade à tracklist e tornam a sua audição integral muito agradável. Recomendado para todos os apreciadores da fase mais recente do lendário grupo alemão.

Nota: 8.7/10

Review por Mário Santos Rodrigues