• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Há bandas que realmente levam uma pessoa a questionar-se como é que não conseguem ter a relevância que lhes é merecida, mesmo dentro deste espectro sonoro. Sim, a resposta todos conhecemos: “ai e tal, as editoras e os meios de comunicação devem ser um meio muito fechado sobre si mesmo e por aí…” mas quando se leva com a qualidade de uma banda como Persefone, é inevitável uma pessoa não pensar porque é que ainda não atingiram uma certa visibilidade, mesmo vindo de um país que não tem muito a ver com Metal como é o caso da Andorra.

Mas coloquemos de lado estas interrogações filosóficas e foquemo-nos no que realmente importa aqui e que faz o coração bombear o sangue com ainda mais vigor: a música. 

Já foi dado a entender que é boa e sim, os Persefone têm virtuosismo às pazadas e tal já não é novidade, visto que desde o início da sua carreira que a banda de Andorra tem demonstrado o seu potencial, tendo o mesmo maturado em discos como “Shin-Ken” e o anterior “Spiritual Migration” e, na verdade, este novo “Aathma” não vai apresentar nenhuma faceta que já não se conhecesse dos andorrenses, aliás, o cânone é o que tem sido escutado desde 2006, em “Core”: um equilíbrio muito bem conseguido entre melodias vibrantes com o músculo e a intensidade de um death metal melódico, inundado nas paisagens sonoras surrealistas dos teclados e liderado por um tornado incessante de riffs. 

A sonoridade dos Persefone está neste registo calibrada para uma abordagem mais directa e agressiva, havendo até uma predominância muito maior da voz berrada sobre a cantada, aproximando “Aathma” de “Shin-ken” e não tanto do seu antecessor. Pode-se assegurar qualidade em todos os temas, no entanto deixa-se o destaque para o quarteto de faixas com o mesmo título do disco quase no final da obra que demonstra exactamente duas das principais qualidades dos Persefone e deste álbum: coesão e brilhantismo.

Os Persefone têm a sua identidade bem definida e quando conseguem moldar a sua sonoridade da forma como têm feito, oferecendo-nos discos soberbos e entusiasmantes, mostram-se autênticos mestres na sua arte.

Nota: 8.9/10

Review por Tiago Neves