• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Formados em 2010, os parisienses Necroblood brindaram-nos, finalmente, com o seu álbum de estreia adequadamente intitulado “Collapse of the Human Race”.

O álbum começa com uma intro super cliché, uma sample de alguma espécie de missa satânica, tão edgy que é difícil levá-la a sério, mas após esta música recebemos por volta de 40 minutos de War Metal devastador e irreverente.

War Metal não é um género conhecido pela sua variedade ou pelo seu uso extenso de elementos progressivos, é mais um género preocupado em atingir níveis gradualmente mais desumanos e extremos e, como tal, poucas bandas são capazes de inovar dentro deste microgénero híbrido daquilo que é mais extremo nos reinos de Death e Black Metal e os Necroblood não fogem à regra.

No entanto, mesmo que não atingem níveis tão avassaladores como os australianos Diocletian ou os Damaar, os franceses presenteiam, com este album, qualquer fã devoto de War Metal devastador e blasfemo.

O seu estilo pode ser descrito com uma mistura das sonoridades dos dois grandes focos o War Metal mundial. Os Necroblood pegam nos riffs destruidores mas um quanto catchy característicos de bandas pioneiras do War Metal finlandês como Archgoat ou Beherit (na sua era de demos), complementando com a distorção e agressão de bandas canadianas como Revenge, Conqueror ou até mesmo os fundadores, Blasphemy.

A fórmula é simples, um baixo com a distorção no máximo que faz tremer a terra, guitarras apocalípticas criando riffs avassaladores repletos das típicas build ups e mudanças de tempo dramáticas, que são apenas contrabalançados por ocasionais leads sinistras mas pseudo melódicas e uma prestação barbárica atrás do kit de bateria. 

Por fim, com tudo o que já foi dito, este é um álbum linear, tal como era esperado, sem qualquer “surpresa” e que não será certamente muito revisitado no futuro, mas que poderá saciar por uns tempos os fãs sedentos pelo género mais selvagem do Metal Extremo, juntando –se ao catálogo de culto de lançamentos de War Metal de qualidade deste ano, que conta já com os débuts dos Perverted Ceremony e Weregoat ou os EP’s dos Ululatum Tollunt e dos nacionais, Satanize.

Nota: 7.7/10

Review por Filipe Mendes