• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


O RCA Club, em Lisboa, abriu-se no passado sábado, dia 13 de janeiro, com o objetivo de apresentar o mais recente trabalho dos Hourswill, “Harm Full Embrace”.

Mas os Hourswill não vieram sozinhos. A noite dedicou-se integralmente à música portuguesa com uma boa mostra de alguns dos nomes que temos atualmente, cada um com o seu estilo muito próprio.

As festividades iniciaram-se com os Scarmind. Com um considerável atraso relativamente à hora marcada do evento, mas já com a sala bem composta, a banda de Sintra deu ao público o início necessário com o seu hard rock enérgico. 

Sendo ainda um nome novo na cena, mas muito ativos nas atuações ao vivo, a banda de Sintra apoiou-se no seu EP de estreia "Newborn”. Surpreenderam ainda com uma versão metal da música “Chandelier” de Sia.

Após um intervalo, foi a altura dos The Chapter, que aproveitaram também a noite para apresentar o seu trabalho “Angels & Demons”, numa linha mais melodic death metal. 

Foram prejudicados por alguns problemas técnicos que se continuariam a verificar no resto da noite mas, ainda assim, conseguiram continuar a prender o público que cada vez mais enchia a sala com a sua competente e sólida atuação.


Passando de seguida para um registo mais ao género metal gótico, foi a vez dos Inner Blast tomarem o palco. Surpreendendo com a voz de Liliana que parece tornar fácil a transição entre o canto lírico e o gutural, os Inner Blast são donos de um som mais pesado comparativamente às outras bandas da noite. 
Uma descoberta bastante agradável. Foram apenas, e infelizmente, prejudicados por vários problemas de som que levaram a atrasos e algumas breves interrupções. Contudo, a banda não esmoreceu e manteve-se dinâmica até ao final.

Quando já passava das 2h, e com a sala por esta altura quase cheia, os Hourswill entraram finalmente em palco. O vocalista Leonel Silva fez as honras de, pela primeira vez na noite, envolver o público, pedindo desculpas pelos atrasos e dificuldades técnicas. Iniciou, de seguida, a apresentação do esperado “Harm Full Embrace”, explicando em detalhe os temas por detrás do álbum e de cada música. Trata-se do segundo álbum da banda, e o primeiro após uma substancial mudança de alinhamento decorrida entre 2014 e 2016. Assente na crítica à sociedade de consumo, o álbum “Harm Full Embrace”, consiste num interessante metal progressivo, com melodias viciantes. Teria sido desejável que os Hourswill tivessem podido estender a sua atuação por mais tempo, pelo menos comparado com as outras bandas, visto a apresentação do seu álbum ser afinal o mote desta noite. Contudo, “Harm Full Embrace” foi uma boa surpresa para o público presente e decerto deixou muitos dos presentes com as suas músicas no ouvido.

Para quem já acompanha o panorama metal português há quase duas décadas, tem sido entusiasmante verificar o crescente de qualidade das nossas bandas, e com estilos tão distintos. Também isso explicará por certo, a boa aderência do público esta noite no RCA Club, superior à verificada até em cartazes com nomes estrangeiros. Deixaram-nos orgulhosos!

Texto por Mariana Crespo
Fotografias por João Moura
Agradecimentos: Hourswill