• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


No novo álbum por parte de uma das bandas seminais do chamado death metal técnico, encontramos uma sonoridade variada desde o primeiro tema, que envolve spoken word e uma instrumentação e ambiência a invocar sonoridades orientais (“Unholy Transript”), que passa para death metal brutal logo no tema seguinte (“Non physical existence”). 

Ao entrarmos no terceiro tema (“Multidimensional”), e abertas as hostilidades, a nova formação dos Pestilence demonstra ter conseguido um casamento ideal entre riffs pesados e brutais e uma exibição de mestria bem calculada nos instrumentos, atenção ao ataque de bateria no ride cymbal e ao solo que fica na memória.

À medida que o álbum “avança”, é possível recolher sonoridades que lembram tanto Code Orange em “Forever” nos seus “breakdowns” (“Astral Projection”), como Obscura em “Cosmogenesis” na velocidade e ferocidade da voz acompanhada pela bateria e guitarra (“Materialization”), assim como os contemporâneos Cynic na fase anterior à estreia “Focus” (“Discarnate Entity”). 

Tendo acompanhado de forma espaçada a carreira dos Pestilence, parece que o líder Patrick Mameli, que acumula guitarra e voz desde o primeiro regresso da banda com “Resurrection Macabre” em 2009, consegue manter ao seu lado músicos competentes nas suas funções, aqui Tilen Durap no baixo (que tem uma boa presença no tema “Subdivisions”), Santigo Dobles na guitarra solo (dotado de uma voz própria no seu instrumento exibida  nos solos que executa ao longo do disco) e Septimiu Harçan na bateria (cuja precisão recorda bateristas veteranos do género como Sean Reinart dos Cynic e Hannes Grossman dos Obscura e Necrophagist) .

Concluindo, “Hadeon” um álbum de death metal que consegue um equilíbrio entre a brutalidade, a diversidade sonora, e a capacidade técnica dos seus executantes, peca, por outro lado, pela falta de variação na dinâmica entre temas, sendo que o estado meditativo tanto no tema de abertura como em trechos de diversos temas ao longo do álbum conseguem oferecer um bom contraponto a essa repetição. Trata-se assim de um álbum equilibrado, que pede várias audições para que se possa assimilar tudo o que tem para oferecer.

Nota: 7/10

Review por Raúl Avelar