• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


No novo álbum por parte de uma das bandas seminais do chamado death metal técnico, encontramos uma sonoridade variada desde o primeiro tema, que envolve spoken word e uma instrumentação e ambiência a invocar sonoridades orientais (“Unholy Transript”), que passa para death metal brutal logo no tema seguinte (“Non physical existence”). 

Ao entrarmos no terceiro tema (“Multidimensional”), e abertas as hostilidades, a nova formação dos Pestilence demonstra ter conseguido um casamento ideal entre riffs pesados e brutais e uma exibição de mestria bem calculada nos instrumentos, atenção ao ataque de bateria no ride cymbal e ao solo que fica na memória.

À medida que o álbum “avança”, é possível recolher sonoridades que lembram tanto Code Orange em “Forever” nos seus “breakdowns” (“Astral Projection”), como Obscura em “Cosmogenesis” na velocidade e ferocidade da voz acompanhada pela bateria e guitarra (“Materialization”), assim como os contemporâneos Cynic na fase anterior à estreia “Focus” (“Discarnate Entity”). 

Tendo acompanhado de forma espaçada a carreira dos Pestilence, parece que o líder Patrick Mameli, que acumula guitarra e voz desde o primeiro regresso da banda com “Resurrection Macabre” em 2009, consegue manter ao seu lado músicos competentes nas suas funções, aqui Tilen Durap no baixo (que tem uma boa presença no tema “Subdivisions”), Santigo Dobles na guitarra solo (dotado de uma voz própria no seu instrumento exibida  nos solos que executa ao longo do disco) e Septimiu Harçan na bateria (cuja precisão recorda bateristas veteranos do género como Sean Reinart dos Cynic e Hannes Grossman dos Obscura e Necrophagist) .

Concluindo, “Hadeon” um álbum de death metal que consegue um equilíbrio entre a brutalidade, a diversidade sonora, e a capacidade técnica dos seus executantes, peca, por outro lado, pela falta de variação na dinâmica entre temas, sendo que o estado meditativo tanto no tema de abertura como em trechos de diversos temas ao longo do álbum conseguem oferecer um bom contraponto a essa repetição. Trata-se assim de um álbum equilibrado, que pede várias audições para que se possa assimilar tudo o que tem para oferecer.

Nota: 7/10

Review por Raúl Avelar