• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Alcest revelam detalhes sobre novo álbum

Depois de um longo e intenso período de trabalho no Drudenhaus Studio, os Alcest anunciaram o término das gravações do seu sexto registo. (...)

Korn lançam novo álbum em setembro e divulgam novo single

Os Korn preparam-se para lançar o seu novo álbum, "The Nothing", no dia 13 de setembro, através da Roadrunner/Elektra

Killswitch Engage lançam novo single

Os Killswitch Engage continuam a antecipar o seu novo álbum. Para o efeito, a banda divulgou agora o primeiro single do mesmo, "Unleashed", que pode ser ouvido (...)

Testament - Novo álbum será lançado no princípio do próximo ano

O vocalista Chuck Billy e o guitarrista Eric Peterson revelaram há dias, no festival francês Hellfest, que gravaram todas as faixas para o próximo álbum (...)

Possessed, Burn Damage @ RCA Club, Lisboa – 18Jun2019

Quando eu era um jovem apreciador de metal, nos finais da década de 80, Portugal era um deserto no que toca a concertos de sons mais pesados, e quando havia algum, por exemplo no mítico Pavilhão do Dramático de Cascais, (...)


"Spectre of Ruin" é o terceiro álbum dos Black Fast, lançado através da gravadora Entertainment One. A banda proveniente de St. Louis, Missouri, havia já chamado a atenção com os seus primeiros dois LP's, que demonstravam uma refrescante marca de Thrash Metal bastante técnico, mas sem comprometer a intensidade e agressão associadas ao género. Comparações a bandas como Coroner e Vektor são talvez as mais óbvias, embora os Black Fast não se limitem a copiar ou reciclar ideias, evitando clichés nostálgicos em que tantas bandas de Thrash contemporâneo caem. 

Este novo álbum começa com um estrondo. "Cloak of Lies" chega sem qualquer aviso ou introdução, atirando o ouvinte diretamente para dentro de uma explosão sónica liderada pelos vocais característicos de Aaron Akin, acompanhado por um riff mid-tempo. É claramente uma das faixas mais fortes deste projeto. Com o avançar do álbum, é possível perceber desde cedo que se anuncia uma mudança no som da banda, o Thrash parece perder o protagonismo, dando lugar a riffs a tender para o Black Metal. Isto é particularmente evidente em faixas como "Silhouette Usurper" ou "Temple of Leviathan" onde a banda aparenta estar mais contida. Os floreados técnicos presentes nos trabalhos anteriores são menos comuns, embora a habilidade instrumental do conjunto seja ainda indubitável, principalmente nos solos de guitarra, a destacar "Phantom I Am", forte candidata ao ponto alto do álbum.

A produção é um ponto negativo em comparação a esforços anteriores. As guitarras não são tão distinguíveis, fazendo com que percam muito da agressividade que demonstram em "Starving Out the Light" e "Terms of Surrender", evidenciado também pela falta da tecnicalidade nos riffs a que os Black Fast nos habituaram.  Este refreamento faz com que grande parte do álbum seja desprovido de surpresas ou momentos de destaque (sejam eles bons ou maus), tornando a experiência algo repetitiva e monótona, um problema exacerbado pela produção densa e estéril. A ligeira transformação sonora de "Spectre of Ruin" é evidenciada até na capa do álbum, que contrasta com a palete monocromática dos anteriores, talvez um presságio do que poderão ser as intenções da banda para projetos futuros. 

Este álbum não é mau de maneira alguma, embora não seja também excecional. É um trabalho competente e consistente, mas dificilmente irá surpreender o ouvinte, ficando este mais bem servido com os primeiros dois álbuns da banda.

Nota: 6.8/10

Review por João Castro