• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Os Whispering Woods são um colectivo de metal sinfónico oriundo da Roménia com muito Gótico nas veias e já vão no segundo álbum com este “Perditus Et Dea”. Apesar do género sinfónico ser o predilecto da banda, os romenos não o exploram da forma bombástica que congéneres muito mais destacados como os Therion ou poderosa, como os Epica, fazem. Os Whispering Woods abordam o estilo sinfónico com uma maior subtileza onde se eleva o canto lírico de Alexandra Burcă e Corina Hamat, as duas sopranos que dão voz à banda, os melancólicos teclados, o que até já se previa pois o elemento gótico é muito forte na música dos W. Woods, e, especialmente, a flauta de Cătălina Popa, dos alemães Haggard, que se sobrepõem aos demais instrumentos e mesmo muitas vezes sendo colada daquela forma por cima de tudo o resto, incorpora-se muito bem na sonoridade bela e simultaneamente triste de “Perditus Et Dea”.

Também há as suas lacunas, para lá da já mencionada forma como a flauta é gravada por cima de todo e qualquer instrumento, o piano acaba por se tornar um quanto repetitivo ao longo do disco por o grupo se focar em demasia nos mesmos tons e estruturas do principio ao fim, o que mostra uma falta de exploração do que tem ao seu dispor, assim como as guitarras são muitas vezes esquecidas através de riffs menos bons ou demasiados momentos sem surgirem, sendo que quando aparece aquele dueto entre flauta e guitarra em “If Ever” ou quando tomam o seu merecido lugar como espinal dorsal da música como na forte “Timeless” é que reparamos que realmente há dois bons guitarristas neste grupo.

Contudo, mesmo estando longe de ser soberbo, “Perditus Et Dea” acaba por ser uma audição realmente agradável. Há temas de grande qualidade como “Autumnal” ou “Calusarii”, mas mesmo nos restantes, a suavidade como os Whispering Woods conseguem fazer fluir os seus temas etéreos sem aborrecer o ouvinte fazem de “Perditus Et Dea” uma boa audição.

Nota: 8.4/10

Review por Tiago Neves