• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Se há algum fã de música que é ecléctico quase por natureza é o de metal, embora também seja também onde se verifica os casos de maior ortodoxia e onde por vezes a intolerância por algo mais fora daquilo que é comum dentro da música pesada fala mais alto do que tudo o resto. Isto tudo porque "Janus", o terceiro álbum de Matt Kivel não tem nada de metal. Nem sequer dois minutos de distorção tem. Não tem riffs, não têm solos e raramente tem bateria. Mesmo assim, consegue ser interessante, tão verdadeiro ou genuíno quanto (se não mais que) muitas propostas de metal/rock que por aí andam.

A força da música de Kivel não está na intensidade do ruído que consegue espalhar por onde passa e sim na sensibilidade da mesma - e essa sensibilidade também pode ser intensa. Há por aqui um certo feeling de Jeff Buckley que é muito bem vindo, como na "Pyrrha" ou na assombrosa "Prime Meridian". Embora a toada de todo o álbum seja bem relaxada, não se pode dizer que seja o típico caso em que se tem um trabalho aborrecido, sempre na mesma tecla. O facto de cerca de onze músicos terem ajudado o músico, torna o trabalho mais diversificado, com diversas perspectivas instrumentais, improvisações e experimentalismos.

Do folk tipicamente norte-americano, a algo próximo do jazz e avantgard sem esquecer a tal sensibilidade acústica pop, este é um trabalho riquíssimo que os que têm a mente mais aberta poderão apreciar sem grandes dificuldades. A música flui como a água no pequeno rio, tranquilamente e sem qualquer oposição. Com o campo e com o sol, é a maneira ideal de se passar uma tarde pacata longe do stress urbano. Um bom álbum de um artista que tem vindo a surpreender a cada álbum solo que lança. Esta é apenas a confirmação do seu talento.


Nota: 7/10


Review por Fernando Ferreira