• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Até se pode julgar que a França será dos últimos locais para se ter stoner rock de jeito mas o que é certo é que a cena francesa tem-nos dado bons nomes ultimamente e os Rab são mais uns a juntar ao grupo, embora tenha que se dizer que a banda não é propriamente daquelas que segue à risca os predicados deste ou daquele estilo. O que se sente aqui é feeling rock a rodos que é impossível que não contagie quem toma contacto com ele. Poderá parecer exagero mas experimentem a ouvir a “Gay Killer” sem bater o pé. É rigorosamente impossível. Tal como é impossível não cantarolar a melodia que é entoada a meio.

É um álbum, que no seu geral, se assume como um conjunto de grandes malhas rock São quase quarenta e cinco minutos que passam num instante. Malhões como “70 Virgin Girl”, “Friend Of Mine” e “Good Old Days” são absolutamente contagiantes, com um groove invejável. A promoção saudável da boa disposição através do rock é algo que deve ser valorizado e aqui não faltam bons exemplos. No entanto, nem tudo são rosas, existe aqui uma escorregadela outra onde as coisas não resultam bem, como é o caso da algo esquisita (mas intensa) “The Genius Of The Crowd” que quebra com o espírito de puro feeling rock que o álbum tem, quebra essa que felizmente consegue recuperar-se sem problemas com a sequência final de músicas.

Numa altura em que vemos tantos debates acerca da continuidade do rock quando todas as grandes lendas estão a envelhecer e/ou desaparecer, são bandas como os Rab que nos asseguram a tranquilidade em relação ao futuro. Com alguns retoques a dar, que fazem parte do processo de crescimento, este segundo álbum mostra a banda coesa, energética e pronta a dar um grande salto no álbum seguinte. Simples mas eficaz, é este a prova que o rock nunca morrerá.


Nota: 7.5/10

Review por Fernando Ferreira