• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)

Se há uma banda que não deixa ninguém indiferente no mundo do metal são os Cradle of Filth. Muito já se falou e dissertou sobre eles, quase desde que lançaram a demo Total Fucking Darkness. Poder-se-á argumentar que este amor/ódio que suscitam em tantas pessoas se deve, primeiramente à personalidade do seu carismático líder Dani Filth, mas se há coisa de que não se pode acusar a banda é de ter parado no tempo.

Quando ouvimos os primeiros minutos do já distante The Principle Evil Made Flesh e os comparamos à primeira audição de Yours Immortally... deste novo Hammer of the Witches, sonicamente parece que escutamos duas bandas completamente diferentes, até a voz do próprio Dani reflete as alterações a que o coletivo tem vindo a ser sujeito ao longo destes anos. Mas é inequívoco que este é um disco de Cradle of Filth, tal como foram os anteriores, e menos interessantes Darkly Darkly Venus Aversa ou The Manticore and Other Horrors.

E comparativamente a esses dois registos não custa afirmar que Hammer of the Witches se encontra num patamar muito superior. Quase que apetece dizer que desde Damnation and a Day que os Cradle of Filth não lançavam um disco tão interessante. E o mais curioso é que se o voltarmos a comparar com os dois registos anteriores, a diferença a nível sonoro, nem sequer é assim tão chocante.

Quase como se tivessem aproveitado toda a complexidade de Darkly Darkly e lhe tivessem injetado uma aura mais etérea, quase gótica por vezes, fazendo de um tema como Blackest Magick in Practice uma incursão no estilo Midian devido à presença mais preponderante dos elementos sinfónicos, sem esquecer claro os riffs poderosos. É especialmente delicioso quando na faixa titulo uma arrepiante linha de violino se sobrepõe à violência emanada pelas guitarras e bateria, criando o tipo de contraste que fez desta banda gigante em tempos idos. Até quando optam por uma agressividade mais constante como em Right Wing Of The Garden Triptych o resultado final acaba por sair bem mais fluido e intenso.

Talvez esta “mudança” não seja tão de estranhar, tendo em conta que temos alguma gente nova no line up dos Cradle of Filth. Como é sabido Paul Allender voltou a abandonar o barco, entrando para o seu lugar os guitarristas Rick Shaw (também nos NG26) e Ashok (ex-Inner Fear), que por acaso já andavam em tour com a banda. Já no campo das teclas e vozes femininas Caroline Campbell dá lugar a Lindsay Schoolcraft dos Daedalean Complex. O resultado está a vista de todos, tanto a nível da magnitude dos riffs, como da nova predominância dos teclados anteriormente mencionada, e quando a isso se junta o dinamismo do baixo de Daniel Firth e a brutalidade que são os ritmos de Marthus, então temos uma banda na plenitude das suas forças e criatividade.

Mas infelizmente Hammer of the Witches não está isento de fillers, e mesmo as melhores faixas aqui presentes dificilmente poderão ombrear com a maioria dos temas dos 4 primeiros discos, mas pelo menos é possível voltar a saborear um disco de Cradle of Filth sem adormecer a meio.

Nota: 8.4/10

Review por António Salazar Antunes