• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Death metal melódico suiço. Daquele modernaço. Alguma vez teria de acontecer, poderão pensar. Bem, técnicamente já acontece desde 2007, ano em que os Soulline lançaram o seu primeiro álbum "Oblivium". Deste então, com regularidade, têm lançado bons álbuns, chegando agora ao quarto trabalho. Para aqueles que são avessos a coisas modernas, poderão já começar a passar à proxima crítica.

"O que é que chamam coisas modernas?"

Oh... o costume, temos os toques electrónicos, a piscadela e ocasional apalpão ao hardcore e aquela sensação geral de que já ouvimos isto tudo nalgum lado. Até mesmo a "No Exception" que foge mais ao esperado, com um toque bem banda sonora, com uma sequência de acordes interessantes, acaba por soar algo previsível. E isto terá de ser necessáriamente mau? Não, porque também é o que esperávamos. Para quem esperar um mau álbum - e por mau álbum entender tudo o que descrevemos atrás - então é isso mesmo que tem e é esse o ponto fraco de "Welcome My Sun". É demasiado previsível.

Agora para quem quer ouvir guturais, melodias de guitarras interessantes, uma bateria endiabrada, com a música a evitar cair nos constantes breakdowns, então este álbum entretem perfeitamente. Mais lugar comum, menos lugar comum, fica-se pelos riffs, pela produção poderosa, pelos ocasionais solos inspirados e principalmente por faixas como "Drunk", que sem apresentar nada de novo, conseguem cativar. E chega, sem grande dificuldade. Agora se voltamos a pegar nele num futuro próximo, bem... isso já são outros tantos.


Nota: 6.5/10


Review por Fernando Ferreira