• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Death metal melódico suiço. Daquele modernaço. Alguma vez teria de acontecer, poderão pensar. Bem, técnicamente já acontece desde 2007, ano em que os Soulline lançaram o seu primeiro álbum "Oblivium". Deste então, com regularidade, têm lançado bons álbuns, chegando agora ao quarto trabalho. Para aqueles que são avessos a coisas modernas, poderão já começar a passar à proxima crítica.

"O que é que chamam coisas modernas?"

Oh... o costume, temos os toques electrónicos, a piscadela e ocasional apalpão ao hardcore e aquela sensação geral de que já ouvimos isto tudo nalgum lado. Até mesmo a "No Exception" que foge mais ao esperado, com um toque bem banda sonora, com uma sequência de acordes interessantes, acaba por soar algo previsível. E isto terá de ser necessáriamente mau? Não, porque também é o que esperávamos. Para quem esperar um mau álbum - e por mau álbum entender tudo o que descrevemos atrás - então é isso mesmo que tem e é esse o ponto fraco de "Welcome My Sun". É demasiado previsível.

Agora para quem quer ouvir guturais, melodias de guitarras interessantes, uma bateria endiabrada, com a música a evitar cair nos constantes breakdowns, então este álbum entretem perfeitamente. Mais lugar comum, menos lugar comum, fica-se pelos riffs, pela produção poderosa, pelos ocasionais solos inspirados e principalmente por faixas como "Drunk", que sem apresentar nada de novo, conseguem cativar. E chega, sem grande dificuldade. Agora se voltamos a pegar nele num futuro próximo, bem... isso já são outros tantos.


Nota: 6.5/10


Review por Fernando Ferreira