• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes

Symphony X - Underworld




Riverside - Love Fear And The Time Machine




Amorphis - Under The Red Cloud





Flayed - Monster Man




Ivanhoe - 7 Days




Elferya - Eden's Fall




Spektr - The Art To Disappear




Rab - Rab 2




Exumer - The Raging Tides




Tales Of The Tomb - Volume One Morprhas




Dimino - Old Habits Die Hard




Roxxcalibur - Gems Of The NWOBHM





The Fifth Alliance - Death Poems




Augrimmer - Moth And The Moon




The Great Tyrant - The Trouble With Being Born




Weeping Silence - Opus IV - Oblivion




Watercolour Ghosts - Watercolour Ghosts




Hexx - Under The Spell/ No Escape




Deseized - A Thousand Forms Of Action




Razor Rape - Orgy In Guts




Sadist - Hyaena




Xandria - Fire & Ashes




Alien Syndrome 777 - Outer




Asylum Pyre - Spirited Away




Canyon Of The Skell - Canyon Of The Skull




Chron Goblin - Blackwater




Extreme Cold Winter - Paradise Ends Here

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



















Entrevista aos Wintersun

Os Wintersun estão de volta mas só acede ao novo álbum “The Forest Seasons” quem participar na campanha de crowdfunding que se iniciou no dia 1 de março e que terminará no dia 31 do mesmo mês. (...)

Vallenfyre revelam detalhes do novo álbum

O próximo álbum dos Vallenfyre, intitulado "Fear Those Who Fear Him", será lançado a 2 de Junho pela Century Media Records. O 3º álbum da banda foi gravado (...)

Hail Of Bullets chegam ao fim

A guerra dos Hail Of Bullets chegou ao fim. A banda holandesa colocou um término na sua luta e para a história ficaram álbuns como "...of Frost and War", (...)

Novembers Doom lançam novo vídeo

Os Novembers Doom, banda oriunda de Chicago, acaba de lançar um novo vídeo com a letra. Retirada do seu décimo álbum, “Zephyr”, foi, desta feita, a escolhida.(...)

Testament preparam lançamento de novo álbum e livro

Apesar do seu último álbum "Brotherhood Of The Snake" ter sido lançado há apenas cinco meses, os Testament encontram-se já a trabalhar no seu sucessor. A revelação surgiu numa entrevista(...)



Segundo álbum da banda norte-americana de doom (daquele a roçar o funeral, mas que não chega bem ao ponto de se poder considerar como tal) que se apresentam de forma corajosa com apenas quatro temas que, em conjunto, ultrapassam a hora de duração. “Sol Invictus” é o primeiro épico, de quase vinte minutos que nos embala em desespero melancólico numa viagem que apesar de não ser fácil – admitamos, isto da melancolia é tudo muito belo e poético mas ninguém consegue andar sempre depressivo e se fomentam esse tipo de sentimento, o mais certo é, mais cedo ou mais tarde, cortarem os pulsos.

No entanto, há toda uma beleza e peso – isto para quem anda no mundo do metal compreende certamente o que se quer dizer – que não se consegue voltar as costas. O tema em questão tem quase vinte minutos. Se o mesmo não tivesse dinâmica nem variações, nem peso, nem melodias cativantes fortes, dificilmente gostaríamos ou deixaríamos que nos transportasse numa viagem que teria todo o potencial à partida para nos colocar num coma profundo, mas a verdade é que esta música, assim como todo o álbum na generalidade, pulsa de vida e de dinâmica. A própria forma como a música acaba, é um excelente exemplo disso mesmo.

A excelência detectada na “Sol Invictus” estende-se a todas as outras três músicas (épicas) e também é a prova que mesmo entre as mesmas existe também dinâmica. Se pegarmos num tema como “The Storm”, o mesmo conserva a toada melancólica que concluímos fazer parte do ADN da banda mas ainda lhe junta uma dose de esperança e de um espírito positivo que acaba por soar surpreendentemente bem. Não quer isso dizer que depois em “The Road To Awe” não volte o sentimento de opressão e de peso sorumbático. Curiosamente, o épico final, também ele com quase vinte minutos, junta os dois sentimentos, sendo a forma ideal de encerrar este trabalho.

Um trabalho denso e intenso, que fará crescer muita água nos ouvidos (e esta imagem é estranha) para todos os doomsters que por aí andem. Deathkings poderá andar pelas divisões distritais do género, mas tem tudo para saltar posições e chegar em breve à primeira liga do doom metal.


Nota: 9.1/10


Review por Fernando Ferreira