• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Visitantes

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


O mestre está de volta. Ihsahn sempre foi visto como a alma dos Emperor – isto sem querer menosprezar o trabalho de músicos como Samoth – mais que não fosse criativamente. Estava mais que evidente, principalmente após o último álbum dos Emperor, “Prometheus – The Discipline Of Fire & Demise”, que o músico já estava com a cabeça noutro sítio, sendo que a sua carreira a solo até se pode considerar como um seguimento lógico e natural desse canto de cisne. Ihsahn criou então uma entidade com o seu próprio nome que surpreendeu tanto como fez sucesso, principalmente para aqueles que são fãs de sonoridades mais progressivas e experimentais.

Isto já foi há algum tempo e entretanto, Ihsahn chega ao sexto álbum com este “Arktis.” sem grandes necessidades de provar o quer que seja a quem quer que seja, embora houvesse alguma expectativa já que o anterior trabalho não foi tão consensual como o que se esperaria. O factor experimental, para muitos, foi algo difícil de assimilar e a expectativa vinha mesmo no sentido se saber se “Arktis.” seria mais um passo à frente ou se haveria um arrepiar caminho. É um misto dos dois – seguir em frente e dar um passo atrás, já que este trabalho é um dos mais diversos da discografia do músico.

Temos aquele feeling progressivo ao lado de peças que assentam em ritmos electrónicos (aquela “South Winds” é algo de extremamente viciante), ao lado de outras onde a melodia é rainha e senhora (como na “In The Vaults” e na “Until I Too Dissolve”, esta última com um riff de guitarra bem hard rock). Como de costume, todos os instrumentos excepto pela bateria (a cargo de Tobias Ørnes Andersen dos Shining) e o saxofone (a cargo de Jørgen Munkeby, também ele nos Shining) que é possível ouvir em alguns temas (e que efeito positivo que tem nas “Crooked Red Line”). Também é de salientar as aparições nas vozes de Einar Solberg (dos Leprous, banda que já tocou com o músico ao vivo) e Matt Heafy (dos Trivium), neste trabalho que é possivelmente o mais completo do músico até agora. Continua a explorar terrenos que ainda não tinha pisado antes e continua a fazer no processo obras desafiadoras e intrigantes, sem esquecer todas as trademarks que uma obra de metal tem.

Surpreendentemente viciante.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira