• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Para aqueles que desconhecem a entidade suiça chamada Rorcal, só teremos que relembrar a boa prestação do split com os nossos Process Of Guilt, sendo duas bandas que até partilham do mesmo espírito sofredor embora musicalmente exista uma apreciável distância, mas adiante que continuar com este raciocínio já é divagar demasiado. “Creon” é o quarto álbum de originais da banda e assume-se como uma pequena bomba misantrópica e apocalíptica. Pequena não pela qualidade mas pela quantidade. Apesar de se tratar de quatro músicas que totalizam quase uma hora de duração, no final fica-se com vontade de ouvir mais.

Vontade essa não recomendada por questões de sobrevivência, já que a miséria que é transmitida é de tal forma grande que, aliado ao vício provocado, é coisa para se ter uma depressão crónica galopante. No bom sentido, claro. Perceber os títulos dos temas é algo que exige a evocação do nosso lado mais poliglota (“Πολυνείκης”, “Ἀντιγόνη”, “Αἵμων” e “Εὐρυδίκη”), já que tem como conceito a história clássica da mitologia grega do assassinato mútuo de Polynices e Eteoclies e como o seu tio, Creon, rei, decide que Polynices não deve ser nem enterrado nem deve ter luto. Portanto… algo que se enquadra no ambiente geral da coisa

Independentemente do conceito e da parte lírica, o que interessa é mesmo a música que nos traz a intensidade do black metal (e o seu espírito e a sua potência) com algum experimentalismo próprio do pós-metal mas que mediante estes quatro temas colossos nem se nota e nem tem qualquer importância. É este o foco da coisa, não tem qualquer importância. Depois disto pode cair uma bomba que não tem qualquer importância. O nihilismo e insignificância dominam perante todas as maiores atrocidades que possamos ver, ouvir e sentir. É a maior dádiva de “Creon”. No bom sentido, claro.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira