• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


Para aqueles que desconhecem a entidade suiça chamada Rorcal, só teremos que relembrar a boa prestação do split com os nossos Process Of Guilt, sendo duas bandas que até partilham do mesmo espírito sofredor embora musicalmente exista uma apreciável distância, mas adiante que continuar com este raciocínio já é divagar demasiado. “Creon” é o quarto álbum de originais da banda e assume-se como uma pequena bomba misantrópica e apocalíptica. Pequena não pela qualidade mas pela quantidade. Apesar de se tratar de quatro músicas que totalizam quase uma hora de duração, no final fica-se com vontade de ouvir mais.

Vontade essa não recomendada por questões de sobrevivência, já que a miséria que é transmitida é de tal forma grande que, aliado ao vício provocado, é coisa para se ter uma depressão crónica galopante. No bom sentido, claro. Perceber os títulos dos temas é algo que exige a evocação do nosso lado mais poliglota (“Πολυνείκης”, “Ἀντιγόνη”, “Αἵμων” e “Εὐρυδίκη”), já que tem como conceito a história clássica da mitologia grega do assassinato mútuo de Polynices e Eteoclies e como o seu tio, Creon, rei, decide que Polynices não deve ser nem enterrado nem deve ter luto. Portanto… algo que se enquadra no ambiente geral da coisa

Independentemente do conceito e da parte lírica, o que interessa é mesmo a música que nos traz a intensidade do black metal (e o seu espírito e a sua potência) com algum experimentalismo próprio do pós-metal mas que mediante estes quatro temas colossos nem se nota e nem tem qualquer importância. É este o foco da coisa, não tem qualquer importância. Depois disto pode cair uma bomba que não tem qualquer importância. O nihilismo e insignificância dominam perante todas as maiores atrocidades que possamos ver, ouvir e sentir. É a maior dádiva de “Creon”. No bom sentido, claro.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira