• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Terceiro álbum dos Switchtense mas que nem era necessário que surgisse para que se confirmasse o seu potencial destrutivo (no bom sentido). Quem já teve a oportunidade de os ver ao vivo (e quem já viu, de certeza que já viu mais que uma vez porque toma-se-lhe o gosto) sabe bem o que nos referimos. “Flesh & Bones”, todo kele, foi feito para ser tocado ao vivo. Se o segundo álbum, auto-intitulado, apostava mais no groove, o que temos aqui é castanhada de meia noite.

Se este álbum fosse um filme, seria um com o Bud Spencer e o Terence Hill, em que os momentos altos eram precisamente os momentos de pancadaria. Só por dizer que neste caso o filme tem divertimento violento do início ao final e nem o facto de ter apenas trinta e quatro minutos é um impedimento para que este álbum seja considerado como menos bom. Aliás, o facto de ter menos tempo ainda faz com que sejamos convidados a mais uma ronda pelos dez temas.

É-nos difícil destacar algum tema, já que em termos de dinâmica andam todos pelo mesmo registo, mas acaba por ser a surpreendente curta “Monsters” (não chega a cinquenta segundos) que salta mais há vista, embora fique a ideia de que poderia ficar mais explosiva com um solo a rasgar. Independentemente disso há muito por onde pegar neste terceiro álbum, que soa conciso, forte e intenso – muito graças também à produção bem poderosa de Daniel Cardoso que mais uma vez demonstra ser um produtor bem versátil, caso ainda restassem dúvidas. Os Switchtense sacrificaram a dinâmica pela potência e por nós tudo bem. Esperemos é que não fiquem mais cinco anos sem lançar nada.


Nota: 9/10

Review por Fernando Ferreira