• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


Os nova-iorquinos Overkill pertencem ao grupo de bandas de thrash metal, dos anos 80, que teimam em lançar material de qualidade no novo milénio. A banda de Bobby Blitz e D.D. Verni andou meio perdida durante vários anos, mas voltou à forma com grandes discos como "Ironbound" e "The Electric Age" sendo que "White Devil Armory" e este novo, "The Grinding Wheel", também são ótimos álbuns, com faixas fortes, embora sejam globalmente inferiores aos dois primeiros que referi.

Estilisticamente as diferenças são quase nulas entre os quatro discos supracitados, o que até é bom porque, como se costuma dizer, em equipa que ganha não se mexe. Afinal de contas, ninguém, no seu perfeito juízo, quer que as bandas de thrash de hoje em dia se afastem do género praticado e da sonoridade que as caracteriza. Tais mudanças deram resultados algo insatisfatórios, quer para as bandas de thrash no geral quer para os Overkill em particular.

Na década de 90, quando a qualidade dos trabalhos das bandas do género decaíram, seria difícil de imaginar que, décadas depois, o thrash metal iria ressurgir e que muitas das bandas clássicas iriam editar excelentes álbuns. Nem era expectável que aparecessem tantas bandas novas a praticar o género, inspiradas nos nomes do passado.

Resumindo, o thrash metal respira saúde atualmente e ainda bem para os fãs desse subgénero tão relevante para o metal. Os Overkill têm a sua quota parte de responsabilidade na boa forma em que o thrash se encontra, pelos fortes álbuns que têm editado e pelos concertos enérgicos que dão e não se coíbem de continuar a escrever excelentes canções como "Mean, Green, Killing Machine", "Goddamn Trouble", "Shine On" e "Red White and Blue" que, certamente, irão fazer parte dos alinhamentos ao vivo da banda. Ótima é também "Our Finest Hour" que só peca por ser algo semelhante a "Electric Rattlesnake", a conhecida música-título do anterior álbum do grupo. O groove de "Come Heavy" é contagiante qb, sendo que os restantes temas do álbum que não foram mencionados são também muito aceitáveis, com a exceção do filler "Let's All Go to Hades", que acentua o lado mais heavy metal da sonoridade da banda mas falha em dar variedade ao álbum.

37 anos de carreira e 18 álbuns dá, aproximadamente, 1 álbum de 2 em 2 anos. Poucas bandas de thrash metal conseguiram tal longevidade sem interrupções e esta regularidade a nível de lançamentos. Por tudo isso e pela qualidade evidenciada pelo grupo durante os primeiros e os últimos anos da sua carreira, podemos dizer que os Overkill estão de parabéns pela perseverança, trabalho árduo e pela boa música que escreveram até à data. Continuem porque cá estaremos também para vos ouvir.

Nota: 8.2/10

Review por Mário Santos Rodrigues