• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Total Pageviews

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































The Sword vão entrar num hiato

Corte quase fatal no futuro dos The Sword, uma vez que a banda texana anunciou há dias que fará uma pausa, embora tenha lançado ainda em março (...)

Hate Eternal lançam áudio de "Nothingness of Being"

A banda de death metal irá lançar o novo álbum, Upon Desolate Sands, a 26 de outubro através da Season Of Mist. Depois de desvendar (...)

Alterações no alinhamento do Festival Bardoada e Ajcoi

O Festival Bardoada e Ajcoi anunciou a substituição de duas das bandas previamente confirmadas. (...)

Marky Ramone em Portugal no próximo mês

O veterano Marky Ramone tem dois espectáculos marcados para o nosso país, que serão nada mais, nada menos, do que o warm up para o Lisbon Tattoo Rock Fest 2018. (...)

Behemoth lançam nova música "Wolves Ov Siberia"

"Wolves Ov Siberia", o novo vídeo de Behemoth, pode ser visto acima. A música faz parte do próximo álbum da banda, "I Loved You At Your Darkest", (...)


O primeiro tema que ouvi do mais recente de Joe Satriani, “Thunder High on the Mountain”, e que tenho revisitado quase diariamente resume os elementos mais característicos do som de Joe Satriani. Passo a explicar, este tema reúne riffs contagiantes e épicos, secção rítmica sólida, apontamentos em teclado que aumentam a sua grandiosidade e solos que servem de perguntas e respostas entre o guitarrista.

Mas este álbum destaca-se, à partida, por ser uma colaboração, rara para o guitarrista, em formato trio, tendo como membros da secção rítmica Chad Smith (Red Hot Chilli Peppers e Chickenfoot) a mostrar-se versátil e pesado na bateria como um baterista veterano de hard rock se tratasse, e Glenn Hughes no baixo (mais conhecido por Deep Purple e Black Country Comunnion), que aqui se foca no seu instrumento, ao invés de se servir da sua voz.

Com efeito, trata-se de um álbum que, do ponto de vista musical , representa uma marca única na discografia de Joe Satriani, quanto mais não seja pela formação de músicos utilizados, quer pelo facto de os músicos em questão estarem fora do que se poderá considerar a sua zona de conforto. E essa saída da zona de conforto nota-se nas músicas, que lembram tanto Satriani da fase de “Super Colossal” (“Thunder High on the Mountain”) e “Professor Satchafunkilus and the Musterion of Rock” (na boa disposição e à vontade de "Catbot"), para citar alguns exemplos.

Ainda, os próprios temas relembram outros artistas como os Muse (atenção aos teclados em “Cherry Blossoms”) ou Tom Petty and the Heartbreakers, no rock de “What Happens Next”, no qual se destaca uma guitarra ritmo característica do som desse conjunto.

Podendo ou não ser um ponto de viragem artístico para Joe Satriani, “What Happens Next” é em si, um excelente exemplo do talento do guitarrista como compositor e como solista que fala através do seu instrumento como poucos conseguem no universo rock, o que por si só já é muito bom numa carreira de mais de trinta anos. As músicas, como temas individuais, destacam-se bem umas das outras, mas formam um todo coeso que conta uma história com princípio, meio e fim. Recomenda-se tanto a fãs deste guitarrista como a fãs de rock instrumental que ainda não o conheçam.

Nota: 7/10

Review por Raúl Avelar