• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Rasgo - Ecos da Selva Urbana


Terror Empire - Obscurity Rising


Painted Black - Raging Light


Wolves in the Throne Room - Thrice Woven


Celeste - Infidèle(s)


Moonspell - 1755


Battle Dagorath - II - Frozen Light of Eternal Darkness


Kalmankantaja - Routamaa


Archspire - Relentless Mutation


Tod Huetet Uebel - N.A.D.A


Benthik Zone - Via Cosmicam ad Europam ab Gelid Inferis


Acherontas - Amarta अमर्त (Formulas of Reptilian Unification Part II)


Progenie Terrestre Pura - oltreLuna


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































System of a Down têm músicas novas

Afinal não há nenhum problema com os System of a Down. É Serj Tankian quem o afirma, numa entrevista recente concedida à Rolling Stone. Na verdade a banda tem músicas novas, (...)

Simbiose, Alien Squad, Dokuga atuam no Porto em fevereiro

Os nacionais Simbiose, Alien Squad e Dokuga vão tocar no Metalpoint (Porto), no dia 3 de fevereiro do próximo ano.(...)

Hourswill apresentam novo álbum na companhia dos Inner Blast, The Chapter e Scarmind

Os Hourswill apresentam ao vivo o seu mais recente álbum, "Harm Full Embrace", dia 13 de janeiro, no RCA Club em Lisboa.(...)

Kamelot lançam novo vídeo e revelam novidades para 2018

Os Kamelot disponibilizaram o novo vídeo do tema "Under Grey Skies", que conta com a participação da vocalista dos Delain, Charlotte Wessels.(...)

Graveyard a gravar novo álbum

Os suecos Graveyard encontram-se nos Park Studios, em Estocolmo, a gravar o seu próximo álbum de estúdio, sucessor de "Innocence and Decadence", lançado no ano 2015. (...)


A capa é horrível mas a música é excelente. Para todos vós que gostam de julgar pelas aparências, aqui está um bom exemplo de que nada é o que parece. Esta banda da Sérvia até pode ser totalmente desconhecida, o que até se compreende tendo em conta a sua origem, mas ao quinto álbum, não estamos a falar de uma propriamente novata. A eterna referência e escolha pré-definida para todas as coisas estranhas no campo do metal, o Metal Archives, refere que se trata de uma banda que opera dentro dos limites do stoner/progressivo. Não será pelo menos de acordo com aquilo que ouvimos neste “Grob”, já que aqui, e se fosse importante categorizar a banda, teríamos algo que mistura o space rock/psicadélico com o stoner/doom, tocando até por vezes no ambient.

Parece uma mistura estranha, mas a verdade é que resulta na perfeição. Mesmo estranhando, e usando a sabedoria popular, é algo que se vai entranhando aos poucos. Quer-se dizer, para aqueles que gostam da mistura atrás mencionada, entranha-se imediatamente sem espinhas, mas para todos os restantes e comuns mortais, poderá demorar mais um pouco. A intensidade e peso é omnipresente mesmo em faixas como a “Sécanje na Ameliju”, onde até se tem direito a saxofone (que os entendidos em instrumentos me desculpem se é um outro qualquer instrumento de sopro, mas soa mesmo a saxofone. Ou isso ou trompete) num ambiente profundamente melancólico.

O tema título é uma poderosa peça de rock progressivo que aquilo mais próximo de Pink Floyd que se ouviu nos últimos tempos, caso estes se tivesse fundido aos Riverside a voar pelo espaço. Um grande tema que só à sua pala vale a este “Grob” dois pontos da sua classificação final. Deveria ter sido o último tema, já que após isto fica um vazio tal que parece impossível de preencher. De qualquer forma, e apesar de não atingir a excelência do tema anterior, “Ejmi (1983-2011-201?)” revela-se também um bom tema e que se enquadra bem no restante álbum. Em resumo, é um trabalho de uma qualidade surpreendente e que nos convence mais uma vez que a música chega-nos de todo lado. Inclusive da Sérvia. Excelente banda.


Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira