• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)


A capa é horrível mas a música é excelente. Para todos vós que gostam de julgar pelas aparências, aqui está um bom exemplo de que nada é o que parece. Esta banda da Sérvia até pode ser totalmente desconhecida, o que até se compreende tendo em conta a sua origem, mas ao quinto álbum, não estamos a falar de uma propriamente novata. A eterna referência e escolha pré-definida para todas as coisas estranhas no campo do metal, o Metal Archives, refere que se trata de uma banda que opera dentro dos limites do stoner/progressivo. Não será pelo menos de acordo com aquilo que ouvimos neste “Grob”, já que aqui, e se fosse importante categorizar a banda, teríamos algo que mistura o space rock/psicadélico com o stoner/doom, tocando até por vezes no ambient.

Parece uma mistura estranha, mas a verdade é que resulta na perfeição. Mesmo estranhando, e usando a sabedoria popular, é algo que se vai entranhando aos poucos. Quer-se dizer, para aqueles que gostam da mistura atrás mencionada, entranha-se imediatamente sem espinhas, mas para todos os restantes e comuns mortais, poderá demorar mais um pouco. A intensidade e peso é omnipresente mesmo em faixas como a “Sécanje na Ameliju”, onde até se tem direito a saxofone (que os entendidos em instrumentos me desculpem se é um outro qualquer instrumento de sopro, mas soa mesmo a saxofone. Ou isso ou trompete) num ambiente profundamente melancólico.

O tema título é uma poderosa peça de rock progressivo que aquilo mais próximo de Pink Floyd que se ouviu nos últimos tempos, caso estes se tivesse fundido aos Riverside a voar pelo espaço. Um grande tema que só à sua pala vale a este “Grob” dois pontos da sua classificação final. Deveria ter sido o último tema, já que após isto fica um vazio tal que parece impossível de preencher. De qualquer forma, e apesar de não atingir a excelência do tema anterior, “Ejmi (1983-2011-201?)” revela-se também um bom tema e que se enquadra bem no restante álbum. Em resumo, é um trabalho de uma qualidade surpreendente e que nos convence mais uma vez que a música chega-nos de todo lado. Inclusive da Sérvia. Excelente banda.


Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira