• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Reviews Mais Recentes


Vita Imana - El M4l


Overkill - The Grinding Wheel


Time Lurker - Time Lurker


Warbringer - Woe to the Vanquished



Akercocke - Renaissance in Extremis


Neige et Noirceur - Verglapolis


Process Of Guilt - Black Earth


Dephosphorus - Impossible Orbits


Samsara Blues Experiment - One With the Universe


Æther Realm - Tarot


Psygnosis - Neptune


Schammasch - The Maldoror Chants: Hermaphrodite


Altar of Betelgeuze - Among The Ruins


Nargaroth - Era of Threnody


Condor - Unstoppable Power


Holy Blood - Glory to the Heroes


The Flight of Sleipnir - Skadi


The Obsessed - Sacred


Necroblood - Collapse of the Human Race


Full of Hell - Trumpeting Ecstasy


Funeralium - Of Throes And Blight


Nightbringer - Terra Damnata


The Sarcophagus - Beyond This World's Illusion


Chaos Synopsis - Gods of Chaos


Farsot - Fail.Lure


Unearthly Trance - Stalking the Ghost


Daemon Forest - Dissonant Walk


The Ruins of Beverast - Exuvia


Novembers Doom - Hamartia


Funeral Tears - Beyond The Horizon



Summoner - Beyond the Realm of Light

Metal Imperium - Merchandise

.
Para encomendar, enviar email para: metalimperium@gmail.com

Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Queens of the Stone Age confirmados no NOS Alive'18

Os Queens of the Stone Age foram confirmados para a próxima edição do NOS Alive, que vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de Julho de 2018(...)

Under The Doom V anuncia um cancelamento e respetiva substituição

O cartaz do Under The Doom V, que vai ocorrer entre os dias 30 de Novembro e 2 de Novembro, acaba de sofrer uma ligeira alteração. Os franceses Funeraliumoi (...)

Corrosion Of Conformity lançam novo álbum em Janeiro

Os americanos Corrosion Of Conformity estão a preparar-se para lançar, a 12 de Janeiro, o seu novo álbum “No Cross No Crown”, pela Nuclear Blast Entertainment. (...)

SWR Barroselas Metalfest revela primeiras confirmações

O festival SWR Barroselas Metalfest anunciou hoje as primeiras confirmações para a edição do próximo ano. O evento, que vai ter lugar de 27 a 29 de Abril(...)

Graveyard em Portugal - Revelada banda de abertura

Como é sabido, os suecos Graveyard vão atuar na sala Lisboa Ao Vivo, já no próximo dia 25 de Novembro. Os portugueses(...)



Quando se fala de lançamentos da Frontiers, normalmente fala-se de hard’n’heavy (ou AOR/Rock FM) de qualidade ou então de super-projectos, super bandas. No caso dos Resurrection Kings, temos um dois em um. Assim sendo temos o cantor Chas West (que alguns poderão não reconhecer o nome mas se falarmos em bandas como Tribe Of Gypsies e Lynch Mob, as coisas de certeza que ficam mais claras), Craig Goldy (ex-guitarrista de Dio, além de colecionar presenças nos Rough Cutt, Dio Disciples e nos Giuffria), Sean McNabb(baixista nos Dokken e Great White) e Vinnie Appice (baterista que marcou presença na banda do Dio assim como nos Black Sabbath e Heaven & Hell). Ou seja, uma trupe do caraças.

E com uma colecção de cromos assim, não é de espantar que o resultado final seja algo que valha a pena recordar em muitos futuros próximos, mas foquemo-nos no presente porque é agora que vamos ouvir esta estreia auto-intitulada até ficar gasta. Dá ideia que isso também vai demorar um pouco a acontecer pelo que… tanto melhor. Temos hard’n’heavy de qualidade no qual a referência a Dio é mais que óbvia a nível instrumental – uma música como “Who Do You Run To” poderia muito bem estar em álbuns como “Lock Up The Wolves” ou “Sacred Heart” – no entanto, a voz de West aponta numa direcção completamente diferente e esse ponto poderá causar alguma estranheza.

Uma voz mais quente, mais melódica, típica de algo mais hard rock FM do que propriamente o timbre inconfundível da mítica e eterna Voice of Metal como ficou conhecida. Por muito que alguns gostem de empolar a coisa, esta é apenas uma questão de fundo, porque as músicas são realmente boas e esta roupagem mais hard rock encaixa muito bem. É uma entidade totalmente diferente cujas semelhanças com o passado de Dio, na nossa opinião, fazem mais bem que propriamente mal. É um álbum que apesar de não ser algo que se assuma com potencial para se tornar clássico, poderá muito bem suportar o teste do tempo sem dificuldades.


Nota: 7.5/10

Review por Fernando Ferreira