• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)


Ninja é um grande nome. Daqueles pelo qual vale a pena lutar até à morte apenas para registá-lo e garantir os direitos. É um nome tão bom que deixa expectativas altas de mais para a música em si. A banda é alemã e pode-se dizer que é daquelas clássicas (não no bom sentido e se querem perceber o alcance desta afirmação, verifiquem por favor as fotos existentes na internet, principalmente aquela que surge no Metal Archives. Já lá foram? Tenebroso não é) bandas alemãs que existiram na década de oitenta, lançaram um ou dois álbuns na sua primeira encarnação e voltaram à carga uma ou duas vezes depois.

A banda lançou dois álbuns, um em 1988 e outro em 1992, voltou em 1997 para lançar o terceiro (uma encarnação que se verificou apenas nesse ano) e depois em 2014, quando lançou este "Into The Fire" que agora é reeditado (repescado) pela Pure Steel Records (who else?!) E... não está à altura do grande nome ninja. A oscilar ali entre o hard e o heavy, muitas vezes caindo no inerrável (como a "Always Been Hell), "Into The Fire" por vezes dá ideia que vai apresentar algo bom mas nunca chega a fazê-lo mesmo. A fórmula mais certa da banda é o midtempo aborrecido, como a primeira faixa "Frozen Time" mostra - e bem, parece que o tempo pára enquanto se ouve a dita música. E não é bonito.

Em alguns momentos a coisa anima mais ("Thunder", "Last Chance" e "Sledgehammer") mas na generalidade, é apenas aborrecimento atrás de aborrecimento. Compassado ("Vagabond Heart"), pomposo ("Masterpiece"), quase bom ("Hot Blond Shot"), a copiar os Accept, mas em mau ("Blood Of My Blood" e "Coward") e até o azeiteiro (o tema título). É um álbum que os apreciadores menos exigentes de hard'n'heavy poderão apreciar, mas que a maior parte já não tem paciência. Faria muito sucesso por algumas semanas décadas atrás, quando o acesso à música era precário. Agora? Custa até ouvir até ao final.


Nota: 4/10

Review por Fernando Ferreira