• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Reviews Mais Recentes

Uada - Cult of the Dying Sun


Occultum - In Nomine Rex Inferni


Monolithe - Nebula Septem


Morag Tong - Last Knell of Om


Haunted - Dayburner


Djevel - Blant Svarte Graner


Raw Decimating Brutality - Era Matarruana


Czort - Czarna Ewangelia


Kinetik - Critical Fallout


Dopethrone - Transcanadian Anger


Abhor - Occulta ReligiO


Refuge - Solitary Men


Sevendust - All I See Is War


Black Fast - Spectre of Ruin


Sleep - The Sciences


Tomb Mold - Manor of Infinite Forms


Taphos - Come Ethereal Somberness


Wrath Sins - The Awakening


Judas Priest - Firepower


Bleeding Through - Love Will Kill All


Ihsahn - Àmr


Alkaloid - Liquid Anatomy


Filii Nigrantium Infernalium - "Fellatrix


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Alcest revelam detalhes sobre novo álbum

Depois de um longo e intenso período de trabalho no Drudenhaus Studio, os Alcest anunciaram o término das gravações do seu sexto registo. (...)

Korn lançam novo álbum em setembro e divulgam novo single

Os Korn preparam-se para lançar o seu novo álbum, "The Nothing", no dia 13 de setembro, através da Roadrunner/Elektra

Killswitch Engage lançam novo single

Os Killswitch Engage continuam a antecipar o seu novo álbum. Para o efeito, a banda divulgou agora o primeiro single do mesmo, "Unleashed", que pode ser ouvido (...)

Testament - Novo álbum será lançado no princípio do próximo ano

O vocalista Chuck Billy e o guitarrista Eric Peterson revelaram há dias, no festival francês Hellfest, que gravaram todas as faixas para o próximo álbum (...)

Possessed, Burn Damage @ RCA Club, Lisboa – 18Jun2019

Quando eu era um jovem apreciador de metal, nos finais da década de 80, Portugal era um deserto no que toca a concertos de sons mais pesados, e quando havia algum, por exemplo no mítico Pavilhão do Dramático de Cascais, (...)


Mais um novo super grupo, este de cariz ninja, ou seja, daqueles que são efectivamente super-grupos mas que ao olho e ouvido do comum mortal poderá passar despercebido. Então, tal como o próprio nome indica, os Triple Sun são um power trio composto por Massimo Pupillo (senhor músico fundador dos Zu, mítica banda italiana de música experimental que mete no mesmo pote grindcore e jazz, com uma discografia extensa e uma lista de colaborações a condizer), David Chalmain (que embora tenha feito nome principalmente como produtor, engenheiro de som e compositor tanto de música clássica como de outras coisas mais experimentais, também participou como músico em vários projectos) e Raphaël Séguiner (músico que também já rodado e que já colaborou com os Zu, entre outros).

Parece termos a premissa para música muito interessante e efectivamente é isso que temos. Não podemos dizer que “The City Lies In Ruins” seja algo que tenha como público alvo os apreciadores de metal, mas se há algum estilo de música que tenha fãs de horizontes abertos o suficiente para apreciar a boa música aqui contida, esse estilo é sem dúvida o metal. Há uma óbvia aproximação ao pós-rock e à música ambient, mas também o pós-metal nos seus momentos mais introspectivos e experimentais. O que quer dizer que temos uma boa viagem dividida em sete temas que nos sugerem a melancolia como o destino principal mas não só.

É um trabalho estranhamento viciante apesar da sua pacatez. Temos tendência a apreciar música deste género para relaxar e acaba por ficar muito pouco nas primeiras audições, mas neste caso, até que em pouco tempo músicas como a “Hole In The Sky” e “Building An Ark” acabaram por ser interiorizadas sem grandes insistências. É um trabalho que mesmo que se perca no tempo, garantirá sempre prazer redobrado ao voltar a ele certamente.


Nota: 8/10

Review por Fernando Ferreira