• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)



Universal Theory chega-nos de Espanha com este “The Most Attractive Force”, um álbum que nos ataca em força com a nostalgite aguda, remontando para o metal gótico e electrónico do final da década de noventa, inícios do novo milénio. Para todos os saudosistas, são boas notícias porque não só é eficaz nessa viagem no tempo como também as músicas “Somewhere Else”, o tema título e “Romance I” são excelentes músicas. Depois temos momentos como a “Deeper You Know” que nos são extremamente familiares – há ali qualquer coisa de Ritual Tejo, como se estes tivessem sido assassinados e ressuscitados, obrigados a tocar a música. Não há nada pior do que um morto-vivo a tocar música contrariado.

Para quem não é saudosista, não é exactamente a coisa mais excitante do mundo, até porque há um certo espírito amador nesta gravação. Não é que seja má… apenas nos soa bastante… antiquada. Talvez fosse essa a intenção. No entanto este é um trabalho que soa datado, no mau sentido, quando sendo contemporâneo é algo que não joga a seu favor. É interessante e até certo ponto, inocente. Mas é preciso mais, muito mais, para que consiga ter um verdadeiro impacto.

Nota: 5.9/10

Review por Fernando Ferreira