• Facebook
  • Myspace
  • Twitter
  • Google+

Total Pageviews

Reviews Mais Recentes


Amorphis - Queen of Time


Ghost - Prequelle


Angelus Apatrida - Cabaret de la Guillotine


Bleed From Within - Era


Painted Black - Raging Light


Necrobode - Metal Negro da Morte


Pestilence - Hadeon


Tortharry - Sinister Species


Inframonolithium - Mysterium


Somali Yacht Club - The Sea


Dallian - Automata


Candidata-te

A Metal Imperium encontra-se a recrutar colaboradores para redação de notícias, reviews de álbuns ou entrevistas a bandas.

Quem quiser fazer parte desta equipa poderá candidatar-se contactando-nos por email: metalimperium@gmail.com



Concertos em Destaque

Tradutor

Entrevistas Mais Recentes



































Ghost estreiam duas novas músicas ao vivo

Os Ghost fizeram um inicio "oficioso" da sua próxima digressão mundial no "The Roxy", em Hollywood, Los Angeles, e presentearam os fãs que(...)

Roy Khan confessa que sair dos Kamelot foi a "melhor decisão" que alguma vez tomou

Roy Sætre Khantatat, conhecido como Roy Khan, ou mais conhecido como o antigo vocalista dos Kamelot, falou à italiana SpazioRock (...)

Epica lançam vídeo para “Universal Love Squad”

Os holandeses lançaram recentemente o vídeo para a canção “Universal Love Squad”, sendo possível visualizar o mesmo (...)

Morbid Angel disponibilizam novo vídeo

A banda de death metal Morbid Angel divulgou recentemente um novo vídeo para o tema "Garden Of Disdain", pertencente ao mais recente álbum, "Kingdoms Disdained". (...)

Alice In Chains lançam vídeo para novo single

"The One You Know" é o novo single dos Alice In Chains, que pode ser ouvido no vídeo acima. A faixa faz parte do próximo álbum da banda, (...)

O nome Ministry não precisa de apresentação! A banda de Al Jourgensen continua em grande forma e o novo álbum “AmeriKKKant” é a prova disso. Cesar, um dos membros mais recentes, esteve à conversa com a Metal Imperium sobre o novo álbum e a experiência de tocar numa das bandas mais originais de sempre...

M.I. – Os Ministry farão uma segunda tournée nos EUA em Novembro / Dezembro com os Carpenter Brut e Igorrr. Quais são as tuas expectativas?

Eu, sinceramente, não gosto de ter expectativas, e isso vale para qualquer coisa na minha vida. Eu gosto de ser surpreendido e manter essa emoção viva quando a surpresa me atinge. Sinceramente, não sei o que esperar. Isso é emocionante!!!!


M.I. - O anúncio declara “Novas músicas! Novos convidados! Novas galinhas! ”… O que os fãs podem esperar dos próximos concertos?

Eu diria para esperarem o inesperado. Nunca se sabe o que pode acontecer num concerto dos Ministry.


M.I. - Como surgiu a ideia de ter galinhas insufláveis em palco? As galinhas representam as ideias que a banda não pode falar “livremente”?

O Al teve a ideia de ter essas galinhas Trump no palco. Todo o concerto é sobre a liberdade de expressão e falar contra os problemas que estão a afectar as nossas vidas diárias !!!!! O Al não hesita em falar contra as coisas que o incomodam em tudo!!!! Ele não é medricas e eu respeito-o muito por dizer as coisas como elas são!!!!!!


M.I. - A banda vai começar a tournée europeia daqui a alguns dias... qual a principal diferença entre as audiências na Europa e na América?

Ambos os públicos têm uma dinâmica muito diferente. A Europa parece estar um pouco mais sintonizada com uma variedade maior de géneros e muitos outros festivais do que os Estados Unidos.


M.I. – A vossa tournée de Verão na Europa terá os Converge, Grave Pleasures e Chelsea Wolfe como convidados especiais. Foram-vos sugeridos ou são escolhas pessoais?

Acabámos de terminar a primeira parte dos EUA com os Chelsea Wolfe e não consigo expressar o quanto nos divertimos. Eu sei que eles foram definitivamente uma escolha pessoal do Al. Eu acredito que ele ouviu a música deles num anúncio e gostou muito.


M.I. - A banda estará muito ocupada em tournée até o final do ano... como te mantens são durante esse tempo?

Honestamente, eu divirto-me mais quando estou em tournée. É a única coisa que me mantém são. O facto de que a nossa dinâmica é tão divertida facilita as coisas. Nós damo-nos todos bem e divertimo-nos juntos. Eu ou passo o tempo em palco ou a passear e a visitar o máximo possível.


M.I. - Como é que as pessoas estão a reagir a “AmeriKKKant”? Comparando-o com os outros álbuns da banda, na tua opinião, quais são as principais diferenças?

As pessoas estão muito ligadas a Amerikkkant!!! Acredito que a principal diferença é que foi lançado no momento adequado, quando o nosso governo está de pernas para o ar e contra a humanidade. Este álbum é a voz necessária para projectar os problemas actuais através da música!!!!! Por isso é que “Amerikkkant” é importante!!


M.I. - "AmeriKKKant" está cheio de mensagens políticas... acreditas que o povo americano está apenas entorpecido e passivamente a assistir à queda do seu país?

Nunca vi as pessoas tão chateadas em toda a minha vida!!!! Especialmente o povo americano de qualquer descendência latina, incluindo-me a mim!!!!! As pessoas estão, finalmente, a tomar medidas, seja através da música, da fala ou do protesto!!!


M.I. - Isto não é novidade para os Ministry pois a banda já lançou uma trilogia anti-Bush no início dos anos 2000. Como é que a política ainda consegue ser um tema interessante para um álbum depois de tantos anos?

Quando os homens no poder estão a aprovar leis e a fazer coisas para f*der o seu próprio pessoal e criar uma grande divisão racial, podes ter a certeza que se vai fazer um álbum sobre isso!!!!!


M.I. - Qual é o impacto do KKK nos EUA neste momento?

Eu não lhes daria crédito nenhum para dizer a verdade. A única diferença é que, muitos deles, estão a afirmar-se agora porque está a ser-lhes feita uma lavagem cerebral para pensarem que está tudo bem em ser racista!!!!! Encorajo todos esses tipos a fazerem um teste de ADN ancestral e perceberem que não há um único ser humano nesta terra que seja tão puro quanto eles pensam que são!!!!


M.I. - Nos concertos da banda, é usada a voz de Trump a dizer "Vamos tornar a América grande outra vez" e algumas imagens animadas de Trump a ser espancado... desta vez é o Trump, mas outros presidentes americanos também estragaram as coisas. Qual é a coisa que ele fez que mais odiaste? O mundo ficou abalado quando ele foi eleito... como é que o povo americano foi capaz de escolher uma pessoa tão egocêntrica e insana para liderar o seu país?

A única coisa que mais me chateou foi ele continuar a f*der com pessoas de ascendência latina!!!! Eu sou um americano de ascendência mexicana, 2ª geração da minha família a nascer e crescer numa cidade de fronteira: El Paso, Texas!!!! Os meus avós, do lado da minha mãe e do meu pai, imigraram do México e tornaram-se cidadãos americanos. Eles trabalharam no duro para perseguir o sonho americano de dar aos seus filhos uma vida melhor. Quando ele lixa os mexicanos, é um pouco pessoal para mim!!!


M.I. – Já há muito tempo que o Al não estava em estúdio com uma banda. Como foi a experiência de estar em estúdio com ele? Sentiste-te intimidado?

É claro que foi muito emocionante para mim, por ser a primeira vez que contribui para um álbum dos Ministry, mas nunca me senti intimidado. O Al sempre foi gentil comigo e sempre me fez sentir bem-vindo.


M.I. - O estado do mundo é extremamente complicado e a humanidade e as suas escolhas são culpadas por isso. É tarde demais para mudar a direcção das coisas agora?

Nunca é tarde demais para a mudança. As pessoas precisam unir as forças e fazer as mudanças acontecerem. Protesta, escreve uma música, faz o que for preciso para mostrar o teu ponto de vista e faz uma mudança.


M.I. - Entraste para a banda em 2015. Como é que isso aconteceu?

Eu conheço o Sin desde 2000. Fizemos uma tournée juntos mas em bandas diferentes. Quando chegou a hora de os Ministry se reunirem novamente, ele mandou-me uma mensagem e perguntou se eu estava interessado em fazer o teste e eu disse que sim. Ensaiei com a banda e, duas semanas depois, fiz o meu primeiro concerto com os Ministry em frente a 50.000 pessoas em Adelaide na Austrália.


M.I. - Quão complicado / fácil é trabalhar com o Al Jourgensen?

Foi espectacular trabalhar com o Al. Nunca foi complicado. Desde que faças o teu trabalho e conheça as tuas partes, está tudo bem. Ele tem sido incrível para mim.


M.I. - Este é o primeiro álbum de Ministry em que estiveste envolvido. Como é o processo de gravação nesta banda?

Em “Amerikkkant” o Al deu-nos uma ideia da direcção ele tinha imaginado e nós apenas juntamos as nossas ideias. O Al tem um processo de fazer as coisas, uma fórmula que nunca deve ser mudada na minha opinião. Ele cria as ideias e o que ele sente que representa os Ministry!!! Ele é um génio!! 


M.I. - Qual das novas músicas é a tua favorita? Quais preferes tocar ao vivo?

Devo dizer que a minha música favorita, do novo álbum, para tocar ao vivo é “Twilight Zone”.


M.I. - Como novo membro, tens liberdade para criar e apresentar as tuas ideias? Fizeste-o?

Eu pude fazer isso em “Amerikkkant”. Sinceramente não esperava poder fazê-lo e tive a honra de ter contribuído com algumas ideias.


M.I. - Por favor, deixa uma mensagem aos fãs portugueses dos Ministry. Espero que toquem cá em breve! Muito sucesso!

Keep Kicking Ass!!!

For English version, click here

Entrevista por Sónia Fonseca